Mikhail Aleksandrovitch Bakunin (30/05/1814 - 01/07/1876)

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin (30/05/1814 - 01/07/1876)
Um russo, louco, espontâneo, libertário, internacionalista, revolucionário... um anarquista!

segunda-feira, 30 de julho de 2012

História da África: Resumo do cap. "A expansão imperialista na África", p. 31.

Os europeus já tinham alguns domínios na Àfrica desde o século XIV, lembremos de Portugal com sua expansão comercial construindo feitorias nos litoriais africanos, desde 1415 Ceuta já estava sob domínio português; os holandeses, franceses e ingleses também tinham seus territórios africanos nos séculos XVII. Todos procrurando estabelecer feitorias comerciais e fornecimento de escravos.

Mas foi após a Segunda Revolução Industrial que a lutar por territórios africanos ficam mais intensos. Na primeira metade do século XIX o interesse por escravos é trocado por exportações de produtos vegetais e animais para a Europa e América. Na segunda metade do século XIX os europeus procuram clientela  para seus produtos industrializados e fornecimento de matéria-prima, então o interesse pela Àfrica toma outros rumos mais intensos.

As rivalidades comerciais e industriais entre os próprios europeus dá início a uma disputa entre eles pelos territórios africanos. Começam explorando mais o interior da África, incentivando os nativos e descendentes de europeus a plantar produtos que não tinham na Europa, como: amendoin e palmeiras para retirar óleo vegertal para máquinas e alimentos; o cacau, café, cana-de-açúcar, cravo e gergilim eram outros produtos incentivados a se plantar em terreno africano. Outro investimento europeu era a caça de animais como o elefante, búfalo, antílopes, entre outro para retirada do marfim e peles para fazer produtos de luxo e mandar para a Europa.

As disputas entre os europeus ficaram cada vez mais intolerante. Na região onde hoje é a África do Sul, os Bôeres (descendentes de holandeses) acharam jazidas de diamantes entre 1860 e 1880; os ingleses pretenderam tomar as regiões ricas em minério e diamante dos bôeres dadno início a uma guerra entre os bôeres e os ingleses durando de 1899 até 1902.

Como forma de minimizar as disputas entre os próprios europeus foi estabelecida regras entre os europeus para a exploração da África para não haver mais guerras entre os europeus, essas leis foram assinada no Congresso de Berlin entre 1884 e 1885; basicamente a regra era a seguinte: "a partilha seria definida pelas áreas de influência. Isso significava que, uma vez estabelecida no litoral, a nação estrangeira teria o direito de ocupar a zona do interior". Podemos comprovar isso se vermos o mapa da página 35 da apostila e vamos reparar que todas regiões sob controle europeu partem do litoral, mesmos os que estão interior a dentro. EU não postei o mapa pois estou condificuldade de postar fotos, mas assim que puder postarei.

No meio dessas invasões os africanos tentaram resistir; estados antigos africanoas como os Daomé, reino Achante e o emirado de Socoto tentaram resistir, mas o poderior militar europeu era superior e tem ainda das disputas etnicas africanas que impossibilitaram uma união maior. Há um mapa na página 36 da apostila com os focos de resistência. A África só vai conseguir desenvolver resistência considerável por volta das décadas do século XX com diversos personagens importantes indo de Steve Biko até Mandela.


Texto: Daniel da Silva Barbosa.  


5 comentários:

  1. Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  2. vcs fazem u8m belo trabalho

    ResponderExcluir
  3. tirei a minha duvida nesse site

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos comentários. Caso queira usar o espaço para publicar algo, estamos disponibilizando este ou alguma crítica pode escrever. valeu!

      Excluir