Mikhail Aleksandrovitch Bakunin (30/05/1814 - 01/07/1876)

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin (30/05/1814 - 01/07/1876)
Um russo, louco, espontâneo, libertário, internacionalista, revolucionário... um anarquista!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

História Antiga: RESUMO DO CAP. 1: OS GERMANOS ENTRAM NO MUNDO ROMANO – p: 05. 7° ano.


Invasão dos Hérulos.






Um império esfacelado.

No século III veio um processo de desestruturação do Império e de suas bases de organização. O principal fator para essa desestruturação foi a grande expansão de suas fronteiras que obrigavam ao império um gasto imenso para manter a infra-estrutura de seu território.
O império deixou de investir na conquista de novos territórios, pois os benefícios econômicos eram menores que os gastos para mantê-lo. Os resultados dessa grande expansão territorial resultou em: redução de escravos, principal base de todo o império romano, com o fim da expansão e isso leva a uma crise nas propriedades escravistas que dependiam tanto do comercio de escravos como do controle das novas terras conquistadas; a diminuição dos escravos no império leva a uma redução das atividades agrícola e ,assim, a um aumento nos preços dos poucos produtos no mercado interno da península itálica. Vem então uma crise.

A ruralização do império.

A principal conseqüência da crise foi o esvaziamento das cidades. Roma tinha 1 milhão de habitantes e chegou no 300 mil nessa época. Os fatores que contribuíram para esse esvaziamento foram:
Diminuição da atividade econômica – sem trabalho nas cidades;
Saques nas cidades levando a uma violência;

Como forma de proteção desses motivos acima os citadinos foram para o campo procurando abrigo, trabalho e segurança.


A formação do colonato.

No campo havia os proprietários de terras, geralmente ex-escravistas, que não tinham dinheiro por causa da diminuição da economia e chegava os citadinos da cidade que não tinham terras. Proprietário precisavam de trabalhadores, pois muitos escravos figuram e os citadinos precisavam plantar e trabalhar. É instituído o COLONATO.
A relação entre proprietário de terra e colono era o seguinte: o colono trabalhava em parte das terras em troca o pagamento pela utilização das terras era feito com parte da produção dos produtos feitos nessa terra (desde criação a alimentos plantados).
Essa relação transformou toda relação construída pelo império romano, agora a economia era limitada no necessário à sobrevivência dos moradores dessas terras.

A queda definitiva do Império.

No século V o golpe final veio com a invasão dos hérulos, povos dos limites do Império que já havia derrubado o imperador Rômulo Augústulo em 476.

O poder político e jurídico dos bárbaros.

O fim do império Romano fez desaparecer o poder centralizado e hierarquizado construído por esse império. No lugar surgiram vários Estados germânicos. Os reinos bárbaros não possuíam instituições iguais as romanas, sua organização não aera estabelecia em leis escritas e sim em leis baseadas em costumes e tradições e a relação de súditos era baseada em obrigações morais, laços de fidelidade e honra.
No direito germânico a justiça era interpretada da seguinte forma: o acusado de um delito para provar sua inocência deveria partir para uma disputa física. A vitória indicava sua inocência e que este era protegido pelos deuses.



Este resumo é tirado da apoastila.

3 comentários: