Mikhail Aleksandrovitch Bakunin (30/05/1814 - 01/07/1876)

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin (30/05/1814 - 01/07/1876)
Um russo, louco, espontâneo, libertário, internacionalista, revolucionário... um anarquista!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Teóricos e teorias: O Socialismo chamado Utópico: Saint-Simon.


Legenda: Retrato de Saint-Simon.




Saint-Simon e o socialismo industrial.


Saint-Simon nasceu em Paris, 1789, nome: Claude Henry de Rocevroy, Conde de Saint—Simon. Sua aventura começa na América do Norte, onde toma parte na guerra da independencia. Prossegue para América Central e depois para a França durante a revolução. Em 1789, adere ao partido das idéias novas. Abandona seus títulos de nobreza e passa a ser chamado de “cidadão Bonhomme”. Enriquece especulando os bens do Estado, e é aprisionado e liberto no Termidor. No século XIX Saint-Simon acredita-se o messias com a missão que consistiria em dar ao mundo um projeto de renovação. Faleceu em 1825.
Os dois socialistas citados em post do ‘O Socialismo chamado Utópico’ partem de problemas de suas épocas – organização econômica do século XIX, e optam pela associação; outros partindo de uma crítica semelhante optam por reformar o setor de produção através da própria produção e o principal foi o sansimonismo. 

Para compreender essa corrente é preciso vê-la em seu conjunto na história das doutrinas econômicas. Então vamos!
 A concepção geral do sansimonismo é o industrialismo.  Saint-Simon apresenta uma teoria da dinâmica social baseada na história e tentará realizá-la, mas não teve muito sucesso; o que vai ter influencia posteriormente será sua observação histórica.

Ele não vai estudar os problemas econômicos e sociais tomando o homem como individuo isolado e sim em seu quadro social (em sociedade e considerando as características dessa sociedade), na coletividade subordinada a leis de organização e evolução. A finalidade do sansimonismo não é a liberdade e sim coisas úteis a vida, noção positiva e de evolução. Evolução para ele é igual a progresso e por sinal é igual a industrialismo, o mais moderno estado de produção na história humana. Simon acredita, assim como Fourier, ser um messias que tratará um sistema salvador.

Sua regra de organização.

“A cada um segundo sua capacidade, a cada um segundo suas obras” – regra de interesse geral que é quando cada homem se dedica a tarefa ou ao trabalho que está apto. O desenvolvimento da indústria constitui a lei de organização da humanidade e é essa indústria a etapa final;

A obra do sansimonismo.

Pelo fato de a sociedade existente não poder permitir sua regra interesse geral vem a crítica contra esta. Sua má organização está na ordem jurídica (direito de sucessão hereditário) que na produção impossibilita a regra de interesse geral.

Em primeiro lugar, sendo hereditária não poderá reconhecer a capacidade de cada um: trabalhador X ociosos.
Em segundo lugar, por levar para o individuo isolado o desenvolvimento da produção. A repartição é injusta por dar a alguns rendimento sem trabalhar e a outros um rendimento inferior ao seu trabalho – exploração do homem pelo homem.

O remédio para os problemas é o princípio norteador do sansimonismo: Do plano da crítica passa para o plano construtivo. O pessimismo resultante da análise da sociedade atual (época de Saint-Simon) é substituída pelo otimismo da sociedade futura acreditada por ele.

A construção da obra de Simon apresenta dois aspectos principais.

O sistema de Saint-Simon é autoritário:
A tarefa de acabar com os vícios do liberalismo ficará confiada a homens “capazes” como produtores, técnicos, cientistas e artistas;
O poder é atribuído aos mais capazes (caracterizados acima);
Troca a administração das coisas para administração das pessoas;


A organização social repousaria em três Câmaras:

Câmara de invenções – composta por engenheiros e artistas;
Câmara dos exames – sábios que julgarão os trabalhos propostos pelas Câmaras de invenção;
Câmaras de execução – industriais que executarão os trabalhos porpostos pela Câmara de invenção;
O Sistema de organização é Coletivista.
É abolido o direito hereditário, o Estado é proprietário único do meio de produção e do capital e distribuirá os meios de produção conforme a capacidade de cada um; não é apenas um sistema econômico, é uma ditadura de renovação social, um sistema geral de um novo mundo; o industrialismo que criara será o “Novo Cristianismo”.

O lado negativo:

A associação se baseia na aptidão de capacidades e está assentada por homens aptos (“HOmmes génératux”). A impossibilidade prática se dará pelo fato de os homens práticos se imporão por si próprios  e por seus próprios méritos, isso conduzirá ao mais absoluto arbítrio dos capacitados em relação aos menos capacitados.
 Simon acreditou que as pessoas aceitaram ‘piamente’ essa situação; graças a essa fé sairia do quadro econômico para entrar no quadro religioso. a noção “obra” da idéia “a cada um conforme suas obras”, significa trabalho associado a uma utilidades coletiva e é a chave dessa repartição. É


O lado negativo:
<!--[if !supportLists]-->·        A associação se baseia na aptidão de capacidades e assentada por homens aptos (“hommes génératux”). A impossibilidade prática se dará pelo fato de os homens práticos se imporão por si próprios por seus próprios méritos, isso conduziria ao mais absoluto arbítrio;
<!--[if !supportLists]-->·      E acreditou que as pessoas aceitariam ‘piamente’ essa situação; graças a essa fé sairia do quadro econômico para entrar para a religião;
<!--[if !supportLists]-->·      A repartição: “a cada um conforme suas obras”, isso significaria remuneração conforme o resultado de seu trabalho, idéia próxima ao Sansimonismo – nesse ponto a repartição parece um regime liberal individualista;
<!--[if !supportLists]-->·     A noção “obra” significa trabalho associado a uma utilidade coletiva e é a chave dessa repartição. É uma noção muito vaga para ser usada na prática; 

A influência do sansimonismo.
<!--[if !supportLists]-->·       Saint-Simon pretendia atuar sobre as elites e estas responderam ao apelo. Voltou-se para a burguesia e a elite intelectual da época;
<!--[if !supportLists]-->·       Ao público em geral foi pequena; em 1828 o sansimonismo organizou-se sob forma pseudo-religiosa, mas acabou em 1932.
<!--[if !supportLists]-->·        Em contraposição, foi a burguesia e as elites intelectuais da época que aderem as idéias de Saint-Simon, por estas estar sendo ameaçadas;
<!--[if !supportLists]-->·    No Brasil o principal representante foi Visconde de Mauá (Irineu Evangelista de Souza – 1813- 1889), apologista do industrualismo; 



Texto: Daniel da Silva Barbosa.


Fonte
: RESUMO: HUGON, Paul. História das Doutrinas Econômicas. 4ª Ed. Editora Atlas S.A.; São Paulo, 1992.

3 comentários:

  1. Vejo um erro logo no inicio da postagem. Verifique-o urgentemente!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela dica, mas você não me escreveu onde está o erro, aparentemente não estou vejo-o, por favor nos ajude a melhorar a postagem apontando os erros. Obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
  3. O erro está na data em que ele nasceu é a mesma com que adere ao partido de idéias novas.

    ResponderExcluir